Números sobre a Violência contra Crianças e Adolescentes no Brasil

(Dados coletados do sistema Disque 100 do Governo Federal)

  Coletando e Analisando os dados do Disque 100 (serviço de acolhimento e encaminhamento de denúncias do Governo Federal), nos últimos 9 anos, me deparo com números que fogem e muito do senso comum, vamos aos dados de Abusos, Agressões e Negligência (entre outros casos com menor incidência) contra crianças por parte de Mães, Pais, Madrastas e Padrastos.

  Em nove (9) anos (período de Janeiro de 2009 a março de 2018) foram 191.782 denúncias contra Mães por maus tratos, abusos e negligência (entre outros casos com menor incidência) contra filhos e filhas em idades entre zero a 17 anos. No mesmo período foram 120.707 de denuncias contra Pais, no mesmo período foram 2.636 casos contra Madrastas e 12.875 casos contra Padrastos.

  Em números Absolutos podemos ver que se quebra o paradigma de que o homem só pelo fato de ser homem é violento, a mãe (mulher) agride, abusa e negligencia mais que o Pai (homem). Outra questão importante é ver o sexo das Vítimas que são agredidas, tanto Mães quanto Pais agridem mais meninos (96.304 vítimas da mãe e 62.442 vítimas do pai), Já Madrastas e Padrastos, fazem mais vítimas meninas (Madrastas fazem 1.385 meninas e os Padrastos 8.117 meninas). Dentro desse dado é importante frisar principalmente os números dos Padrastos. As suas Vítimas meninas são quase o dobro do que de meninos (8.117 meninas contra 4.747 meninos) e esses números servem de alerta para todas as mães para analisarem e terem um senso crítico muito grande com quem colocam dentro de suas casas ou em contato principalmente com suas filhas.

  Voltando a questão da violência contra filhos (meninos e meninas), esses dados por si só deixam claro e quebram por completo o discurso ideológico e de gênero de que o homem é violento e agressivo por natureza e a mãe que é vista num pedestal e por aquele princípio de “Nossa Senhora” acima de qualquer suspeita principalmente por Autoridades (Polícia, Ministério Publico e Conselhos Tutelares) Além do Judiciário, na maioria das vezes Matriarcal em suas decisões (sempre pende pra mãe, mulher suas decisões) em suas Varas de Família, Violência Domestica e Varas de Infância e Juventude.

  Outro ponto importante é que podemos notar é que os meninos são vítimas mais visadas de todo o tipo de abusos, agressões e negligência, portanto se quebra mais um “tese” Ideológica que meninas são as maiores vítimas, claro são sim atingidas também e muito, mas o discurso que se faz e os dados são diferentes.

  A Conclusão que se chega com essa pesquisa é que não devemos ir pelo senso comum, muito menos as autoridades responsáveis por políticas publicas pra combater esse mau, Violência contra Crianças e Adolescentes é o mais grave tipo de monstruosidade que se pode fazer, se destrói a infância e a adolescência, se extermina um futuro, se cria um circulo vicioso onde quem é a agredido hoje pode vir e a se tornar um agressor amanhã, portanto devemos ter mais atenção a isso principalmente em se tratando de poder publico.

Dados (Disque 100) Governo Federal (Janeiro de 2009 a Março de 2018)

tabela.JPG
grafico.JPG
382010_10151176151982011_692376238_n_edi